Atlético-MG e Palmeiras empatam em BH

0
112

Atlético-MG e Palmeiras, 1 x 1 – crédito: globo esporte

Em jogo com três pênaltis (dois perdidos) e duas expulsões, Atlético-MG e Palmeiras empatam em BH

Com dois jogadores a menos, Verdão segura a igualdade diante do Galo em partida nervosa e com muita reclamação dos dois times contra a arbitragem de Leandro Vuaden

Ao ser perguntado sobre a fase ruim, com seis jogos sem marcar e dois pênaltis desperdiçados no Brasileirão, Fred respondeu:

“Eu enfrentei o Brasil contra, mais de 200 milhões de pessoas contra (mim), e depois fui artilheiro do Brasileirão. Isso aí pra mim não é nada. É um momento difícil, tenho humildade para reconhecer que estou enfrentando dificuldade”.

Detalhe: depois do gol de Fábio Santos, Fred tentou chutar a bola novamente na rede e… mandou no travessão. Que faaaase…d82d7f01-184f-4f84-b572-92cc87e9aabc - Cópia

Atlético-MG e Palmeiras deram trabalho para o time de arbitragem, comandado pelo gaúcho Leandro Vuaden, em duelo válido pela 23ª rodada do Brasileirão, na tarde deste sábado, em Belo Horizonte. Em jogo com dois expulsos (os palmeirenses Luan e Willian), três pênaltis (sendo dois perdidos), além de outros três lances que geraram reclamação (e poderiam ter sido assinalados), Galo e Verdão acabaram ficando no empate por 1 a 1. Detalhe: o time mineiro, com dois a mais, foi para o abafa no fim e por pouco não levou o segundo gol, em contra-ataque palmeirense nos acréscimos. Fernando Prass, porém, acabou sendo o herói palmeirense no fim, com boas defesas.

Com o resultado, o Verdão mantém a quarta posição, agora com 37 pontos (13 a menos do que o líder Corinthians), mas ainda pode ser ultrapassado pelo Flamengo no domingo. Já o Atlético-MG, com 30, ocupa momentaneamente a nona colocação (ainda pode ser ultrapassado no complemento da rodada).

A primeira expulsão foi do zagueiro Luan, pelo pênalti cometido sobre Leonardo Silva (veja mais abaixo). A segunda foi do atacante Willian, que revidou uma solada de Valdívia com um pontapé no atleticano, a poucos metros de Vuaden.

Foram dois pênaltis para o Atlético-MG na etapa inicial e um para o Palmeiras na etapa complementar. O primeiro do Galo foi aos 26, de Egídio em Alex Silva – o jogador do Palmeiras chegou atrasado na disputa e derrubou o do Galo.

Antes, os palmeirenses reclamaram também a não marcação de um pênalti quando o jogo ainda estava 0 a 0. Um chute de Willian bateu na mão do atleticano Luan. Para o comentarista Sérgio Xavier, do Premiere, era para Vuaden ter marcado pênalti.

O segundo pênalti gerou mais reclamação dos palmeirenses. Em falta alçada na área, Luan puxou Leonardo Silva pela camisa. Os jogadores do Verdão tentaram argumentar com o árbitro Leandro Vuaden que o atleticano também estava puxando o palmeirense. Como já tinha amarelo, Luan acabou sendo expulso.

O terceiro pênalti, primeiro para o Palmeiras, foi no início da etapa final. Após escanteio da direita, Leonardo Silva subiu com o braço levantado e tocou com a bola na mão. Deyverson, que não quis cobrar pênalti no jogo da Libertadores contra o Barcelona de Guayaquil, pegou a bola e, após uma movimentação esquisita (fez que bateria com a direita e chutou de esquerda), praticamente recuou para Victor. Foi o 14º pênalti defendido pelo goleiro com a camisa do Atlético-MG.

O Galo reclamou um outro pênalti, não assinalado e que seria bem semelhante ao de Leonardo Silva, mas com Deyverson tocando a mão na bola. O árbitro Leandro Vuaden, porém, viu mão de Fred, que estava na disputa com o palmeirense.

O Palmeiras também se queixou da não marcação de um pênalti em Moisés já nos acréscimos

Postado: pelo Site caririverdade.com

SEM COMENTÁRIOS