domingo , agosto 9 2020
Home / Destaque / Oito policiais afastados sob suspeita de duplo homicídio; Crime seria em vingança a morte de PM

Oito policiais afastados sob suspeita de duplo homicídio; Crime seria em vingança a morte de PM

As mortes aconteceram no mês de junho deste ano. Um Inquérito Policial Militar (IPM) foi instaurado e os policiais também devem responder administrativamente A Controladoria Geral de Disciplina de Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD) justificou os afastamentos como sendo necessários à garantia da ordem pública. Foto: Cid Barbosa

Um grupo composto por oito policiais militares é investigado e foi afastado das suas funções por suspeita de participar de um duplo homicídio em Juazeiro do Norte. O crime teria acontecido em vingança a morte do subtenente Francisco Augusto da Silva, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Ceará.

Conforme portarias publicadas no Diário Oficial do Ceará (DOE), foram instaurados processos administrativo disciplinar contra seis PMs. Para outros dois, estes oficiais ficaram determinadas instauração de Conselhos de Justificação. Todos os afastamentos são, inicialmente, de 120 dias.

As duas mortes aconteceram no dia 29 de junho de 2020. Na ocasião foram assassinados a tiros Francisco Wesley Vieira da Silva e David de Lima da Silva. Os PMs envolvidos na ocorrência disseram ter atirado durante um confronto. Para nenhum dos dois mortos havia mandado de prisão em aberto.

A investigação preliminar traz indícios de que os PMs invadiram a residência onde a dupla estava sob argumento que procuravam outra pessoa supostamente envolvida na morte do sargento. No entanto há informação que apenas uma pessoa esteve envolvida na morte do PM, e que esta já havia sido morta em confronto com a Polícia horas após o latrocínio, em Fortaleza.

Tortura e mortes

Na casa invadida em Juazeiro do Norte, conforme o Diário Oficial, há indícios de que os policiais cometerem crimes de homicídio, tortura, abuso de autoridade, roubo, fraude processual e calúnia, na presença de, pelo menos, oito testemunhas. Para a CGD, a apuração preliminar reuniu indícios de infração disciplinar e que a conduta feriu os valores morais Militar Estadual.

Nas portarias, a Controladoria justificou os afastamentos como sendo necessários à garantia da ordem pública. “Os militares estaduais deverão ficar à disposição da unidade de Recursos Humanos a que estiverem vinculados, órgão este que deverá reter sua identificação funcional, distintivo, arma, algema e qualquer outro instrumento de caráter funcional que esteja em posse dos mesmos, remetendo à Controladoria Geral de Disciplina”, de acordo com publicação no Diário Oficial.

Ainda no dia do duplo homicídio, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE) divulgou que foram apreendidas duas armas de fogo durante ocorrência em Juazeiro do Norte. A Pasta disse que os agentes receberam informações dos serviços de Inteligência que homens envolvidos na morte do subtenente estavam escondidos em uma residência.

“Diante das informações, as composições se dirigiram ao endereço indicado e ao chegarem no local, foram recebidos por disparos de arma de fogo, efetuados por indivíduos que encontravam-se dentro da residência. Foi dada resposta à injusta agressão e após cessados os disparos, os agentes de segurança localizaram dois indivíduos feridos, no interior da casa, bem como dois revólveres calibre .38, e várias munições”, conforme a SSPDS.

Por nota, a CGD disse que o processo está em fase de instrução. A Polícia Militar do Ceará destacou que o afastamento dos policiais foi imposto pela Controladoria e disse que o caso vem sendo apurado por meio de um Inquérito Policial Militar (IPM). A PMCE ainda afirmou que irá aguardar o término da investigação “para não fazer nenhum julgamento sem que haja elementos ainda neste momento para isso”.

Latrocínio

Francisco Augusto morreu ao sair de casa para ir trabalhar, no bairro Vila Manuel Sátiro, em Fortaleza, no dia 6 de junho deste ano. O subtenente chegou a ser levado a uma unidade hospitalar, mas não resistiu aos ferimentos.

A esposa do agente de segurança informou que o crime aconteceu por volta das 5h, quando Francisco Augusto saia de casa para trabalhar, ainda sem a farda. Ela ouviu pelo menos três disparos e saiu para ver o que tinha acontecido.

No mesmo dia um suspeito identificado como José Roberto foi localizado e morto durante tiroteio contra policiais. O suspeito foi localizado no Parque Santana e teria tentado se esconder em um matagal. O homem foi localizado com auxílio das câmeras de videomonitoramento. Uma pistola foi apreendida com ele.

Fonte: Diário do nordeste

Postado: Pelo repórter Michel Dantas do site caririverdade.com

Deixe uma resposta