terça-feira , abril 7 2020
Home / Notícias / Nacional / Asa Branca, locutor de rodeios, morre aos 57 anos

Asa Branca, locutor de rodeios, morre aos 57 anos

Artista lutava contra câncer na mandíbula

Asa Branca foi o precursor de várias inovações no mundo dos rodeio
Foto: Reprodução

O famoso locutor de rodeios Waldemar Ruy dos Santos, conhecido como Asa Branca, morreu nesta terça-feira (4), aos 57 anos, informou a página oficial do artista nas redes sociais. Ele lutava contra um câncer na mandíbula e uma infecção causada pelo rompimento dos tumores.

“É com muito pesar que informo o falecimento do nosso querido Waldemar Ruy Asa Branca dos Santos”, disse o comunicado.

View this post on Instagram

@sandra_asa_branca @haroldo1914

A post shared by Ruy Asa Branca (@asabrancaoficial) on

Vivendo com HIV, Asa Branca foi diagnosticado com câncer na mandíbula e estava com tumores em vários pontos da garganta e da boca. No dia 19 de dezembro, em entrevista, ele havia afirmado que os médicos lhe deram mais um mês de vida.

Carreira

Waldemar Ruy Asa Branca dos Santos foi milionário e um ícone no mundo dos rodeios por criar um novo estilo de narração. Ele já chegou a ganhar R$ 1 milhão em um único mês, morava nos Jardins, bairro nobre de São Paulo, usava helicópteros e aviões fretados como meio de transporte.

Após abusar de uma vida de luxo, sexo e drogas, ele perdeu, ao menos, R$ 10 milhões. Vivendo com HIV desde 1999, o locutor, que apresentava os principais rodeios país afora, era figura fácil em programas de TV. Quase morreu em 2013, após contrair uma doença transmitida por pombos e meningite. Ele tentou retomar a carreira depois disso, mas a doença foi se agravando.

A carreira de Asa Branca foi meteórica. Virou locutor por acaso em 1985, quando o narrador oficial brigou com a direção de uma festa. Tinha sido eliminado do rodeio no primeiro dia e perdido o gosto pela atividade após ser pisado por um touro em 1984. O pisão lhe rendeu uma cirurgia no peito.

Tomou gosto pela narração e resolveu se aperfeiçoar. Foi limpar cocheiras no Texas, onde acontecem alguns dos principais eventos da área nos EUA, e conheceu uma tecnologia avançada à época: microfone sem fio.

Fonte: Diário do Nordeste
Postado: Pelo repórter Michel Dantas do site caririverdade.com

Deixe uma resposta