No sufoco, Palmeiras fura retranca boliviana e vence primeira na Libertadores

0
95

Ale Cabral/ Agif/Gazeta Press Mina comemora o gol que deu a primeira vitória ao Palmeiras na Libertadores

Depois do empate conquistado fora de casa, com um jogador a menos, contra o Atlético Tucumán, o Palmeiras contava com sua torcida para buscar a primeira vitória na Copa Libertadores.

Só que o Jorge Wilstermann deixou claro que a ideia era voltar para a Bolívia com pelo menos um ponto, e conseguia isso até o último minuto

Quando o relógio já passava dos 50 minutos do segundo tempo, Mina aproveitou cruzamento de Roger Guédes e fez o gol do “desafogo”, da vitória do Palmeiras.

Com o placar de 1 a 0, o Palmeiras assume a liderança do grupo 5, agora com quatro pontos. Já o Jorge Wilstermann, com três, aparece na segunda posição, ao menos até esta quinta-feira, quando o Peñarol receberá o Tucumán no Uruguai.

Dificuldade

A primeira finalização da partida foi do Palmeiras, logo aos três minutos, em boa jogada que teve passe de peito de Michel Bastos e o chute de Jean, na rede pelo lado de fora.

Mas o primeiro susto foi boliviano.  Aos 9 minutos, Thomaz cobrou alçando a bola na área. Morales desviou e Mina ia mandando contra a própria meta. O gol contra só não saiu porque Prass apareceu para fazer uma bela defesa. BBybkwP

Melhor em campo, mas com dificuldades para furar o bloqueio do adversário, o Palmeiras chegou bem aos 20 minutos, em lance que acabou anulado por posição irregular de Edu Dracena. Cinco minutos depois, Guerra cruzou, Borja dominou e virou batendo, mas a finalização não saiu como o desejado e acabou tranquila nas mãos de Olivares.

Aos 37 foi a vez de Michel Bastos para Borja. O cabeceio foi para o chão e acabou subindo demais, passando muito perto do travessão e saindo pela linha do fundo.

Na base da pressão

No começo do segundo tempo, aos 8, Jean cobrou falta cruzando a bola para a área e Mina apareceu para concluir. A bola foi para a rede, mas a arbitragem apontou posição irregular do zagueiro, anulando o lance.

E a pressão palmeirense seguiu atrás do gol. Jean saiu na cara do goleiro aos 10, mas Olivares saiu bem para mandar para escanteio. Na cobrança de Michel Bastos, o bate-rebate sobrou com Mina, que tentou de cabeça para mais uma boa defesa.

Depois do lance, Mina e Alex Silva se estranharam dentro da área. O clima esquentou e a partida ficou alguns minutos paralizada, enquanto a arbitragem buscava informações sobre o que tinha acontecido. No fim, um cartão amarelo para cada um e o “momento” do jogo acabou sendo perdido pelo time da casa.

Eduardo Baptista usou suas substituições para colocar o time no ataque. O Jorge Wilstermann se fechava na defesa, deixava a posse de bola com o Palmeiras, e tentava levar perigo nos contra-ataques, além de valorizar cada minuto que poderia.

A cera resultou em seis minutos de acréscimos e veio o castigo para os bolivianos. Após muito bate-rebate, Keno tocou para Róger Guedes, que cruzou rasteiro na área. Mina, sozinho, completou de carrinho para o gol e deu a vitória ao Palmeiras.

Na sequência

Pela Copa Libertadores, as duas equipes só voltam a jogar em abril. No dia 11, o Jorge Wilstermann recebe o Atlético Tucumán na Bolívia. No dia seguinte, no Allianz Parque, o Palmeiras recebe o Peñarol, em partida marcada para às 21h45 (de Brasília).

Pelo Campeonato Paulista, o Palmeiras volta a campo neste domingo, no clássico contra o Santos. O jogo acontece na Vila Belmiro, às 18h30.

Postado: pelo Site caririverdade.com

ESPN.com.br

SEM COMENTÁRIOS