terça-feira , dezembro 11 2018
Home / Notícias / Política / MPF manifesta-se pelo descabimento de recurso da defesa do ex-presidente Lula

MPF manifesta-se pelo descabimento de recurso da defesa do ex-presidente Lula

Recurso tem o propósito de alterar decisão condenatória do Tribunal Regional Federal da 4ª Região Foto: Leonardo Prado/Secom/PGR

Em parecer enviado na noite desta sexta-feira(14), ao Superior Tribunal de Justiça (STF), o Ministério Público Federal (MPF) posicionou-se contra o pedido apresentado pela defesa do ex-presidente Lula que tenta modificar a decisão condenatória do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). Assinada pela subprocuradora-geral da República, Aurea Pierre, a manifestação é pelo não conhecimento do Recurso Especial 1.765.139, que havia sido parcialmente recebido pelo TRF4 – apenas na parte parte referente à reparação dos danos.

Em 24 de janeiro, Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de reclusão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Na época, o Tribunal julgou recursos apresentados à decisão do juiz federal Sérgio Moro. O processo contra o ex-presidente tramitou em Curitiba, no âmbito da operação Lava Jato.

No parecer, a subprocuradora-geral rebateu os 14 pontos apresentados pela defesa para fundamentar o recebimento do recurso e a revisão da sentença condenatória. Áurea Pierre afirmou que o pedido não atende aos requisitos constitucionais previstos no artigo 105, inciso III. O entendimento do MPF é o de que a defesa não demonstrou que a decisão do TRF4 contrariou lei federal ou deu interpretação diversa de qualquer outro tribunal, requisitos necessários para a admissão do recurso.

O parecer do Ministério Publico demonstra que a decisão do TRF4 é fiel à jurisprudência dos tribunais superiores sendo, assim, descabida sua revisão pelo Superior Tribunal de Justiça.

Secretaria de Comunicação Social
Procuradoria-Geral da República
(61) 3105-6406 / 6415
pgr-imprensa@mpf.mp.br
facebook.com/MPFederal
twitter.com/mpf_pgr

Postado: Pelo repórter Michel Dantas do site caririverdade.com

Deixe uma resposta